Núcleo de Educação a Distância da UPE celebra 15 anos com evento sobre desafios do ensino na era digital

Em comemoração aos seus 15 anos de atividade, o Núcleo de Educação a Distância da Universidade de Pernambuco (NEAD/UPE) vai realizar, nos dias 23 e 24 de novembro, um encontro para discutir as mediações que permitem a aprendizagem colaborativa na era digital.

A I Semana de Educação a Distância (SEAD) está com inscrições abertas até o dia 23 através do site https://www.even3.com.br/ISEADUPE. O evento é gratuito e acontecerá de forma remota, por meio de plataforma de videoconferência, reunindo todos os participantes.

O objetivo é promover reflexões, apresentar novas ideias e discutir resultados sobre o desenvolvimento, avaliação e experiências dos cursos, projetos e atividades relacionadas ao ensino e à aprendizagem da modalidade de educação a distância.

A pandemia de Covid-19 acelerou o uso de tecnologias da informação e da comunicação pelas instituições de ensino superior. As aulas virtuais trazem um duplo desafio: a conectividade e a inclusão digital dos alunos em situação de vulnerabilidade social.

A programação do evento está dividida em quatros eixos temáticos: Metodologias Ativas; Ensino Remoto, Híbrido e Educação a Distância; Processo de Ensino e Aprendizagem; e Ambientes Virtuais de Aprendizagem.

O NEAD/UPE atua em 16 polos da Universidade de Pernambuco espalhados pelo estado, oferecendo oportunidades em Administração Pública, Ciências Biológicas, História, Letras e Pedagogia, com um total de 2.368 alunos.

Os cursos nessa modalidade são oferecidos pela UPE desde 2006. A previsão é de que cerca de 900 alunos concluam suas graduações e especializações entre 2021/2022. O número subirá para cerca de 1,5 mil entre 2024/2025.

Cerimônia de entrega de títulos de Doutor Honoris Causa e Professor Emérito vida UPE torna celebração em defesa da ciência

Engenheiros e professores, Jaime Gusmão (1932-2013), Milton Santos (1936-2000) e Carlos Calado são considerados por seus colegas de profissão e magistério pessoas à frente de seu tempo. Além da especialização técnica, para eles o principal foco é o ser humano. Sempre.

Jaime Gusmão foi docente da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Milton Santos e Carlos Calado ajudaram a formar novos engenheiros na Escola Politécnica de Pernambuco (Poli).

A partir desta sexta-feira (12), os três têm mais uma característica em comum. Integram o seleto quadro da Universidade de Pernambuco (UPE) como Doutor Honoris Causa (Jaime Gusmão, in memoriam) e Professores Eméritos (Milton Santos, in memoriam, e Carlos Calado).

A cerimônia foi realizada na reitoria da UPE, reunindo familiares dos dois homenageados já falecidos e com a presença de Carlos Calado, que foi reitor da universidade pública estadual entre 2007 e 2014.

A solenidade, que teve transmissão ao vivo pelo canal UPE nas Redes no YouTube (para ver a íntegra, acesse este link: https://youtu.be/Tt_NX-Wjr54), tornou-se uma defesa da ciência e da democracia nos discursos panegíricos e congratulatórios para cada homenageado.

Ex-reitor da UFPE, Amaro Lins fez o panegírico de Jaime Gusmão. Destacou que o título de Doutor Honoris Causa é concedido a pessoas eminentes e as instituições acabam adotando do homenageado os seus valores.

Amaro Lins disse assim ainda que é importante defender as instituições de ciência "para que possam surgir outros Jaimes".

O filho do novo Doutor Honoris Causa da UPE, o também engenheiro Roberto Gusmão, ressaltou que em nenhum momento o pai parou de formar novos profissionais humanistas.

"Nosso país passa por um momento difícil, a democracia sob ameaça. Estamos em um nevoeiro, mas tocando o barco sabendo onde queremos chegar: um país justo", disse. Segundo ele, a luta pelo bem-estar coletivo vem através da educação.

De forma online, o professor Sérgio Eduardo Ferraz fez o discurso panegírico de Milton Santos. "Seu comportamento era a própria encarnação da igualdade. Era negro, comunista, ateu e democrata. Se estamos aqui gozando de uma liberdade é por conta da luta de pessoas como Milton", destacou. Luta que é agora, segundo ele, de nossa responsabilidade.

A vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos, fez o discurso congratulatório do pai, agora Professor Emérito (in memoriam) da UPE. "Se vivo fosse, estaria na luta contra o desmonte das conquistas nas áreas da ciência e da tecnologia", defendeu. 

Vice-diretor da Escola Politécnica e filho de Jaime Gusmão, professor Alexandre Gusmão proferiu o discurso panegírico de Carlos Calado. Destacou que o atual reitor da Faculdade Senac articipou da formação de quatro mil engenheiros na Poli. "Ele mostrou que a engenharia pode ajudar as pessoas", disse.

O ex-reitor da UPE agradeceu a homenagem e, no seu discurso congratulatório, destacou o seu trabalho em transformar uma federação de faculdades isoladas em uma verdadeira Universidade de Pernambuco, trabalhando que vem sendo continuado pelo reitor Pedro Falcão e pela vice-reitora Socorro Cavalcanti.

Segundo ele, a UPE é um exemplo de democracia, demonstrada pela escolha dos seus dirigentes e nas decisões colegiadas.

O diretor da Poli, José Roberto Cavalcanti, destacou que a homenagem da UPE a três engenheiros é um reconhecimento da importância da ciência em um momento de negação quando o povo mais precisa dela. 

"É um dia de homenagem, mas de reagirmos em nome daqueles que se foram, usando a palavra resistência", afirmou.

Encerrando a solenidade, a vice-reitora da UPE ressaltou que a engenharia pernambucana deve se sentir honrada com profissionais compromissados como os que agora integram a lista de homenageados pela universidade.

Bloco D da reitoria passará a se chamar edifício Béda Barkokébas Junior

A partir desta sexta-feira (12), o bloco D da reitoria da Universidade de Pernambuco passará a se chamar oficialmente edifício Béda Barkokébas Junior.

A solenidade de aposição da placa contendo o nome do professor de Engenharia Civil da Escola Politécnica de Pernambuco (Poli-UPE), falecido no dia 24 de janeiro, aos 63 anos, está marcada para as 9h.

Trata-se de uma homenagem póstuma aprovada por unanimidade pelo Conselho Universitário da UPE em abril e que integra o calendário de eventos relativos aos 30 anos de fundação da universidade.

Como pró-reitor de Planejamento da UPE nas gestões dos ex-reitores da instituição Emanuel Dias (1999-2002/2003-2006) e Carlos Calado (2007-2010/2011-2014), Barkokébas coordenou a construção do edifício que agora levará seu nome.

Membro da Academia Pernambucana de Ciência (APC), ele lecionava como professor associado da Poli-UPE e ainda era professor adjunto da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) e professor permanente do mestrado em Construção Civil da UPE.

Barkobébas graduou-se em Engenharia Civil pela UPE. Fez mestrado na Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Possuía, ainda, doutorado em Engenharia Rodoviária e pós-doutorado pela Universidade Politécnica da Catalunya, em Barcelona, na Espanha.

Foi líder do grupo de pesquisa “Ergonomia, Higiene e Segurança do Trabalho”, registrado no CNPq e coordenador do Laboratório de Segurança e Higiene do Trabalho (NSHT) da UPE. Atuou também como consultor ad hoc do CNPq e do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de Pernambuco (Sinduscon-PE).

Bloco D da reitoria da UPE torna-se oficialmente edifício Béda Barkokébas Junior

Ao entrar no bloco D da sede da reitoria da Universidade de Pernambuco, no bairro de Santo Amaro, no Recife, uma placa perto do elevador vai chamar a atenção do servidor ou visitante. Inaugurada na manhã desta sexta-feira (12/11), ela traz a denominação oficial do edifício: Béda Barkokébas Junior.
 
Trata-se de uma homenagem póstuma ao engenheiro que coordenou a construção do prédio, conhecido como o "homem do suspensório" e pelo bordão "Para você ter uma ideia".
 
Falecido em 24 de janeiro, aos 63 anos de idade, Barkokébas foi docente da Escola Politécnica de Pernambuco (Poli) e também pró-reitor de Planejamento da UPE.
 
Além do edifício na reitoria que agora leva seu nome, ele ajudou na expansão da universidade no interior do estado, acompanhando as obras dos campi na Zona da Mata, Agreste e Sertão.
 
O descerramento da placa contou com a presença da viúva de Béda, Laura Barkokébas, que agradeceu a homenagem ao homem que, segundo ela, com sua "efervescência" contribuiu para a excelência da UPE. "Vejo gratidão no rosto de cada pessoa que conviveu com Béda, gente que o ajudou a evoluir", disse. Maria José Barkokébas (mãe) e Verônica Maria Barkokébas (irmã) também compareceram à cerimônia.
 
O diretor da Poli, José Roberto Cavalcanti, ressaltou que Béda foi um dos nomes mais importantes da engenharia de segurança do trabalho. Ele lembrou da sua amizade que nasceu da época em que ambos eram estudantes de Engenharia e depois como docentes e dirigentes da UPE.
 
"O envolvimento de Béda com a Poli e a UPE sempre foi de corpo e alma, aqui era realmente sua casa. Ele fez da universidade uma referência nacional em segurança no trabalho", destacou.
 
A vice-reitora da UPE, Socorro Cavalcanti, afirmou que foi uma honra conduzir a cerimônia que eterniza a obra de um dos "motores propulsores" da universidade. "Béda tinha o compromisso e a competência na formação técnica dos estudantes. Foi um grande articulador entre a UPE e a sociedade, captando recursos. Um grande parceiro", lembrou.

UPE entrega títulos de Doutor Honoris Causa e Professor Emérito a três expoentes da engenharia pernambucana

A Universidade de Pernambuco vai homenagear três professores que deixaram suas marcas na história da engenharia brasileira e na Escola Politécnica (Poli), dois deles in memoriam e um que chegou a ser reitor da UPE entre 2007 e 2014.

Jaime de Azevedo Gusmão Filho (in memoriam) receberá o título de Doutor Honoris Causa. Já Carlos Fernando de Araújo Calado e Milton de Oliveira Santos (in memoriam) serão agraciados com o título de Professor Emérito.

A solenidade de entrega das comendas a Carlos Calado e aos familiares dos outros dois homenageados acontecerá nesta sexta-feira (12), às 10h, na sede da reitoria. A cerimônia será transmitida ao vivo pelo canal UPE nas Redes no YouTube.

Falecido em 2013, o professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e engenheiro Jaime Gusmão será o 15º nome a integrar a lista de Doutores Honoris Causa da UPE, pelos “relevantes serviços prestados à Engenharia Geotécnica e à Geologia de Engenharia no Brasil”.

Já o título de Professor Emérito é concedido aos docentes aposentados do quadro da UPE que tenham se destacado ao longo da sua carreira de magistério, de acordo com o artigo 93 do estatuto da universidade. Carlos Calado e Milton de Oliveira Santos (falecido em 2000) passam a integrar este seleto grupo.


JAIME GUSMÃO

Nascido em 6 de janeiro de 1932 na cidade de Caruaru, Jaime de Azevedo Gusmão Filho foi engenheiro civil formado pela Escola de Engenharia da Universidade Federal de Pernambuco em 1954, sendo o laureado da sua turma.

Depois de ter feito o primeiro curso de Especialização em Engenharia de Solos realizado no Brasil (no Rio de Janeiro, em 1955), e de ter estudado entre 1958 e 1960 na Universidade de Illinois, em Chicago, onde fez seu mestrado em Mecânica dos Solos e Fundações, retornou a Pernambuco e ingressou como professor na UFPE no Departamento de Engenharia Civil, onde lecionou até o seu falecimento em 2013.

Ele foi também um dos fundadores do Curso de Geologia e do Programa de Pós-graduação em Engenharia Civil. Na UFPE, foi livre docente, professor titular e recebeu o título de professor emérito.

Jaime Gusmão foi presidente do Clube de Engenharia de Pernambuco, do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-PE) da e Empresa de Urbanização do Recife, onde implantou um modelo de gestão de riscos em encostas urbanas que é até hoje uma referência em todo o Brasil.

Ganhou os prêmios Manuel da Rocha (ABMS) e Victor Leinz (ABGE) e publicou 10 livros e mais de 100 artigos técnicos em revistas e anais de eventos nacionais e internacionais. Faleceu no dia 1º de janeiro de 2013, aos 81 anos, após uma parada respiratória.

CARLOS FERNANDO DE ARAÚJO CALADO

Nascido no Recife em 17 de julho de 1952, possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Pernambuco (1970 a 1974), doutorado em engenharia civil pela Universidade do Minho, Portugal (2010 a 2015), especialização em Estruturas pela COPPE/UFRJ (1976 a 1977) e especialização em concreto protendido na Compagnie Francaise D'Etudes Et de Construction, França (1978 a 1979).

Foi diretor adjunto do Departamento de Estradas de Rodagem de Pernambuco (1987 a 1991) e secretário de Infraestrutura da Prefeitura de Olinda (1993 a 1996).

Na Universidade de Pernambuco, exerceu o cargo de Pró-Reitor de Planejamento (1999 a 2002) e diretor da Escola Politécnica da Universidade de Pernambuco (2002 a 2006) antes se tornar reitor pelo período de 2007 a 2014.

Atualmente, desde agosto de 2019, exerce o cargo de diretor da Faculdade Senac de Pernambuco.

MILTON DE OLIVEIRA SANTOS

Natural do Recife, onde nasceu em 30 de março de 1936, Milton de Oliveira Santos era graduado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e licenciado e bacharel em Matemática pela Universidade Católica de Pernambuco (Unicap).

Foi admitido como professor da Poli/UPE quando tinha 30 anos de idade, em 1° de setembro de 1966. Aposentou-se em 26 de março de 1998. Seu falecimento ocorreu em 14 de julho de 2000.

Por 32 anos, Milton Santos foi professor titular da Poli nas disciplinas de Cálculo 2, Eletricidade e Instalações Elétricas.

Além da sala de aula, contribuiu na vida acadêmica participando de diversas gestões do departamento básico, congregação da escola e demais colegiados da Poli.

Ele foi professor dos cursos de Matemática e Engenharia na Unicap. Também foi professor de Matemática na UFPE. Ensinou ainda esta disciplina em colégios públicos e privados e foi engenheiro eletricista da Prefeitura do Recife.

Foi casado com Lenira Barbosa Santos, com quem teve três filhos e uma filha: Luciana Santos, atual vice-governadora de Pernambuco.